quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Aconteceu na Livraria do Trem

Nesta última quarta-feira do mês de setembro (29/09/2010) tivemos o prazer de compartilhar um momento literário com o escritor Henrique Schneider aqui na Livraria do Trem. Foram 12 contos lidos e interpretados pelo próprio autor para o público que compareceu ao evento. Logo após as leituras tivemos um pequeno happy-end literário com uma conversa entre os participantes: debatemos assuntos que foram desde como foi o início da carreira literária do escritor hamburguense até o futuro do livro no Brasil.

Queremos expressar a nossa profunda gratidão a todos que prestigiaram o evento e em especial ao Henrique Schneider que vem nos proporcionado belíssimos momentos com este magnífico e importante projeto de leituras.

Muito obrigado.

Leituras Feevale Contos da Vida Breve – Desde 2007, Henrique Schneider promove o Projeto de Leituras Feevale Contos da Vida Breve. Com patrocínio da Universidade, percorre cidades do Brasil e do Exterior lendo e interpretando ao vivo os contos que escreve semanalmente para o jornal ABC Domingo. A direção artística é de Kinho Nazário.

Nas primeiras edições, esteve em livrarias, bibliotecas e espaços culturais de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Montevidéu e Buenos Aires, além do roteiro pelo interior do Rio Grande do Sul e Porto Alegre.

Para quem não pode comparecer ao evento aqui em São Leopoldo ainda terá a oportunidade de prestigiar o projeto.
Segue abaixo a programação com as localidades das próximas leituras. Não percam...


segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Henrique Schneider e seus Contos da Vida Breve


Cultura - Henrique Schneider e seus "Contos da Vida Breve" em São Leopoldo

O escritor “itinerante” Henrique Schneider estará em São Leopoldo nesta quarta-feira, 29 de setembro, para a 4ª edição do Roteiro de Leituras “Contos da Vida Breve” 2010. O evento acontecerá na Livraria do Trem às 20h, que fica localizada ao lado da estação terminal São Leopoldo.
Nos últimos meses, o hamburguense não parou. Esteve em várias cidades do Estado com o projeto patrocinado pelo Centro Universitário Feevale. Ainda neste ano (dia 05 de novembro) vai ler para os argentinos na Fundación Centro de Estudos Brasileiros (Funceb) em Buenos Aires.
Durante cerca de 50 minutos, Schneider interpretará alguns dos contos publicados desde 2003 na edição dominical de um jornal regional do Vale do Sinos.

Carreira literária
Autor dos livros Pedro Bruxo (Metrópole, 1984), O Grito dos Mudos (L&PM, 1989 - Bertrand Brasil, 2006) e A Segunda Pessoa (Mercado Aberto, 1998), o escritor Henrique Schneider foi um dos 10 finalistas do 50ª Prêmio Jabuti, em 2008, com seu mais recente trabalho. Contramão, publicado pela Editora Bertrand Brasil em 2007, foi indicado na categoria Romance da principal premiação da literatura brasileira.

PROJETO DE LEITURAS FEEVALE CONTOS DA VIDA BREVE
Quando: 29/09/2009 - quarta-feira às 20h
Onde: Livraria do Trem – Rua São Caetano, 53 sala 03, centro – São Leopoldo – RS

ENTRADA FRANCA

Estamos esperando por você!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Batman – A Piada Mortal



Lançada aqui no Brasil em 1988, Batman – A Piada Mortal é quase tão importante para a vida do Homem-Morcego quanto o Cavaleiro das Trevas. Primeiro porque a história é de ninguém menos que Alan Moore que, ao lado de Frank Miller, é o roteirista mais importante da década de 80. Depois porque o desenhista é o sensacional Brian Bolland, que já tinha feito Camelot 3000 e Judge Dredd. Em Batman – A Piada Mortal, Moore mostra que o Coringa não é o único louco de plantão. A história mostra os dois arquiinimigos como seres inseparáveis. É aquela história de que um não existiria sem o outro. O “gibi” traz ainda a origem do Coringa, que é contada em flashbacks e mostra o palhação violentando e aleijando Barbara Gordon, a Batgirl. Um evento que chocou o mundo dos quadrinhos. O nível de loucura chega ao máximo no final da história, quando Batman dá risada de uma piada do Coringa. Mostrando que a loucura e a insensatez atinge também os super-heróis.




Lançamento: 1988 (Brasil) / 1987 (EUA)
Editora: Abril Jovem / DC Comics
Argumento: Alan Moore
Desenhos: Brian Bolland
Cor: John Higgins
Nº de páginas: 52

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Os Mutantes - LP de 1968


Mutantes (1968) psicodelia brasileira feita na base do talento e de efeitos eletrônicos artesanais. Um dos mais significantes LP’s do Rock brasileiro.

Confira aqui!

sábado, 4 de setembro de 2010

Por que comprar em Sebos?

Delícias de sebo
Postado por Rosana Zaidan em 27 de Abril de 2010 às 20:24
Post original em: Blog da Rosana Zaidan



Confesso: adoro livros. E não só para ler, porque não sou intelectual. Gosto de ver livros, de manuseá-los, de tê-los à mão. Gosto mesmo é de ficar no meio deles, como "um gato aos pés do dono" (com a licença poética do Chico). É um ambiente perfeito. Por isso, sempre que posso, passo em um sebo e me divirto muito- mas muito mesmo - vendo os títulos, as capas, as lombadas, as páginas. Posso ficar horas entretida nisso. Sinto-me de alma lavada. E por que num sebo e não em uma livraria? No sebo, os livros têm marcas. São como os rostos com rugas ou as almas impregnadas de mágoas e alegrias. Têm riscos, grifos, nomes, registros involuntários da gente que os leu. E uma manchinha ou outra de gordura, a revelar que o antigo dono gostava de ler à mesa ou quem sabe, comendo batatas fritas na cama. Os preços também são ótimos. Outro dia, achei um antigo exemplar de "Confesso que vivi", de Pablo Neruda, por apenas cinco reais. Pelo mesmo custo de cinco goiabas, ou de dois cafés expressos, levei para casa uma obra-prima. Um escritor que quando a gente lê, como diria o Holden Caufield, de "O Apanhador no Campo de Centeio", tem vontade de ligar pra ele. Não é preciso dizer mais. Melhor, estraga.