terça-feira, 13 de abril de 2010

Quem não caça com cão, caça com gato.

As livrarias que não caçam com cão, caçam com gato.

Escolha criteriosa de títulos, atendimento personalizado e eventos. Face à pressão das grandes cadeias, é preciso diversificar. Porque só vender livros não chega. É preciso que aconteça alguma coisa...